sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Caça ao tesouro em Itacoatiara, pode causar danos as relíqueas históricas encontradas e afetar o meio ambiente.


O serviço de resgate das ruínas das embarcações Jaguaribe e do Andirá, envolvidas na revolução constitucionalista de 1932, não deve ser encarada como um simples capricho, como a remoção de um sinistro qualquer, que está com suas estruturas perfeitas. A ação deve ser encarada como um estudo científico e inestimável de um achado significativo para a história do Município de Itacoatiara, e não como um troféu politiqueiro, que pode ser danoso a integridade do achado e afetar seriamente o meio ambiente.
O que tenho a acrescentar, é a data correta do episódio, que se deu em 24 de agosto do ano de 1932 e não 1928, e os navios que estão submersos no Rio Amazonas, são o Jaguaribe e o Andirá. O quanto o serviço de resgate dos escombros dos navios, Acho que só as suas localizações é o suficiente. Pois as ruínas já fazem parte do habitat da fauna e flora, bem como existe todo um bioma localizado no lugar. Uma remoção abrupta, sem as técnicas apropriadas, seria certamente nociva a integridade do estado de conservação dos objetos, além de afetar o meio ambiente estabelecido no local, pois já faz parte do ambiente natural e serve de deposito de vidas aquáticas. Talvez o resgate de alguns objetos, e principalmente a placa com o nome dos navios, bastava como prova cabal do achado. Pois, essa operação deveria ser acompanhada de escafandristas especializados neste tipo de achado, arqueólogos, biólogos, historiadores, fotógrafos, cinegrafistas e engenheiros navais e oceanógrafos. Pois só uma ação de pesquisa interdisciplinar, seria capaz de fazer uma pesquisa com parâmetros científicos e com técnicas específicas para executar tal operação a contento. O fato de se fazer rastreamento e dragagens, sem utilizar os métodos corretos e apropriados a tipo de sondagem que se apresenta, pode danificar seriamente o que resta das estruturas das embarcações, que estão com boa parte de suas estruturas possivelmente soterradas a 79 anos nas profundezas do nosso caudaloso Rio Amazonas. A final trata-se de uma ação de extrema seriedade e respeito a memória.
Em 2004, foi montada uma exposição científica para vasculhar navios no litoral de Santa Catarina, na aventura submarina foi envolvido um aparato técnico e equipe de profissionais especializados. Pesquisadores como americano Dwight Coleman, um dos grandes nomes da exploração subaquática, foi contratado para ajudar nas buscas. Coleman faz parte da equipe de Robert Ballard, o homem que encontrou o transatlântico Titanic e o navio alemão Bismarck, deu suporte a equipe brasileira, inclusive na época da pesquisa, enfatizou que esse tipo de busca “é como se descobrir uma agulha no palheiro”.
Para encontrar as relíquias marítimas, foram necessários equipamentos trazidos dos Estados Unidos. São traquitanas que rastreiam o fundo do mar e identificam corpos estranhos abaixo da areia. “Estes navios [...] provavelmente estão soterrados, se encontrados, levará anos e muito dinheiro será gasto para que sejam retirados. “A areia deve ser dragada com muito cuidado para não danificar nenhum objeto” diz Fernando Luiz Diehl, presidente da Associação Brasileira de Oceanografia, em entrevista a revista Istoé Dinheiro.
Desde o anuncio dos servicos de resgate, pela Marinha por solicitação da Prefeitura de Itacoatiara, em nenhum momento foi dado conhecimento publico das técnicas utilizadas e do perfil acadêmico da equipe de busca. O acompanhamento e autorização do IBAMA, IPAAM bem como do IPHAN, para a execução dos referidos serviços, é de extrema necessidade, para se dar segurança a integridade da originalidade das relíquias náuticas que possam ser encontradas no interior das embarcações. A final os bens históricos e a memória coletiva, devem ser tratados com seriedade e respeito, e não encarados como um devaneio tardio de quem quer mostrar serviço de qualquer maneira no apagar das luzes de sua enfática aurora.

Frank Chaves
Historiador

Rodovia AM-070 vai ser duplicada

A Assem­bleia Leg­isla­tiva do Ama­zonas (ALEAM) au­tor­izou na manhã desta quinta-feira (29) o Gov­erno do Es­tado a con­tratar op­er­ação de crédito no valor de R$ 164 mil­hões junto ao Banco Na­cional de De­sen­volvi­mento Econômico e So­cial (BNDES). O din­heiro será uti­lizado na du­pli­cação da Rodovia AM-070, que liga Manaus ao mu­nicípio de Iran­duba.

De modo geral, os dep­utados pre­sentes na Casa Leg­isla­tiva en­tendem que o em­prés­timo junto ao BNDES se faz necessário por se tratar de uma rodovia im­por­tante que vai mel­horar o trân­sito de au­tomóveis e pedestres, além do escoa­mento da pro­dução dos mu­nicí­pios si­tu­ados no en­torno da Ponte sobre o Rio Negro.

O dep­utado es­tadual Marco An­tonio Chico Preto (PP) disse que será con­struída uma nova avenida, com du­pli­cação, cujo pro­jeto vai ser dis­cu­tido na Comissão de Obras Públicas da ALEAM, a qual o par­la­mentar preside. “Vou trazer a se­cretária da Seinf, Valdívia Alencar, na ALEAM, para mostrar o pro­jeto”, disse, res­saltando a ne­ces­si­dade de que seja criada uma ci­clovia entre Iran­duba e Cacau-Pirêra.
(fonte: Blog da Floresta)

Itacoatiarense que se presa, não deveria comemorar a FESTA DO ABACAXI, pois os manauaras tem bastante motivos para comemorar e os itacoatiarenses, só tem motivos para lamentar!


É realmente um absurdo, até porque o prefeito de Itacoatiara é morador, agricultor e atualmente um dos maiores produtores de abacaxi do município. E deveria fazer pelo menos o seu dever de casa, na questão de ofertar aos seus munícipes o fruto que ele tanto propagandeia nas palestras e eventos em que ele participa. Fala da produção de 30, 40, 50 e 60 milhões de frutos, mas para a sede da municipalidade isso de quase nada importa, a começar pelo preço do produto que chega a ser encontrado no mercado local até a 3,50 a unidade.
E quanto os comerciantes de Itacoatiara são abordados e cobrados pela Receita e pela Sefaz a cerca do pagamento dos tributos dos seus produtos na barreira policial da Poranga. Toda a produção de Novo Remanso passa ilesa para o mercado consumidor de Manaus.
O Banco da Amazônia financiou neste ano de 2011 quase 20 milhões de reais em apoio a produção rural e em outras aeras do setor produtivo. E o prefeito se gaba nos seus pronunciamentos, que desse valor mais de 70% foi para a região de Novo Remanso e Engenho, até aí não tenho nada contra, apesar de considerar que acho que os produtores do Rio Urubu, do Rio Arary, da estrada Am-010 e das estradas viscinais, da Ilha do Risco e da margem direita do Rio Amazonas, esses que inclusive se localizam aqui na outra margem do rio, exatamente na frente de Itacoatiara, deveriam também ser merecedores das atenções do Prefeito e das agências de financiamento. Afinal, parece haver uma orquestração em canalizar tudo só para a região Oeste de Itacoatiara.
Até o Programa Luz para todos, se enquadra na mesma trilha de direcionamento dos investimentos do Governo Federal, do Governo do Estado, dos bancos e da própria Prefeitura de Itacoatiara. O INCRA também parece está nitidamente engajado nessa onda de investimento focada na região Oeste do Município de Itacoatiara, quando viabiliza até construções de casas populares para os moradores do tipo regional, mas só para os moradores desta região, Isso é que eu chamo de descriminação generalizada para com os demais moradores, digo produtores do Município de Itacoatiara. Ao tempo em que se torna cada vez mais nítida a determinação do prefeito em não medir esforços para desenvolver a região de Novo Remanso, como se estivesse fazendo o lastro para potencializar a transformação do lugar em Município, e possivelmente se entronizar prefeito do referido lugar. E tudo isso em detrimento do prejuízo: populacional, eleitoral, agrícola, territorial, fatores que vão afetar diretamente a queda da arrecadação municipal de Itacoatiara, a queda dos repasses federais e estaduais na área da saúde, da educação, na merenda escolar, nos serviços públicos de infraestrutura e nos demais, pois todo o recurso que vem para o município, e resultante de repasses capitaneados apartir da renda per capta por habitantes, ou seja, pelo numero de habitantes, Portanto se houver um queda brusca na demografia do município, por conta do encolhimento geográfico, aí é que Itacoatiara vai ficar em sétimo e oitavo lugar no Estado. Ou seja, essa é a pior situação em que um administrador vem a colocar a nossa cidade. Pois muito discursou que os ex-administradores atrasaram o Município. Mas pelo menos nenhum se arvorou em rasgar o nosso mapa municipal no meio, acabando literalmente com a metade da conficguração geográfica do município, justamente a região que mais produz, Isso é uma vergonha!
Enquanto tudo isso se desenho nos gabinetes do Poder Executivo, o povo vai comemorar inocentemente a Festa do Abacaxi, e os moradores de Manaus que pouco vem a festa, são brindados com o troféu abacaxi pó R$ 1,00, enquanto o itacoatiarense paga no mercado local R$ 3,50. Portanto, os manauaras é que deveriam estar mais presentes na festa do abacaxi, por se beneficiarem em gênero numero e grau com a apoteótica produção de abacaxi, que financiada com os recursos do BASA de Itacoatiara, ou seja, enquanto o itacoatiarense descasca o abacaxi, o manauara delicia-se do fruto. Nada contra os produtores desta região e nem contra os habitantes do lugar, mas penso que o processo de desenvolvimento do lugar deveria englobar toadas as comunidades do município de Itacoatiara, não só aquelas onde o prefeito reside, é puro oportunismo e falta de visão global. Depois querem que ninguém fale nada, que ninguém critique, é notável a distribuição de benefícios focados para o seu grupo político, eu só quero ver se esse grupo vai ser capaz de lhe reelegê-lo. Pois esse filme eu já vi, e na hora H até tentam, mas o povo todo está de olho. Lá na Comunidade do Engenho, na Comunidade do Remanso, no Lago do Batista, no Rio Arary, no Rio Urubu, no Bairro Eduardo Braga II, no Bairro do Centenário, em fim, em todas as divisões administrativas e geográficas do município está se observando tudo o que está acontecendo. São os mesmos olhos atentos que antes eram os do seu grupo, agora é de todos os outros grupos e de toda a população do município que está assistindo a tudo e a todos, e só esperando a hora de dar a resposta conclusiva sobre o seu contentamento.  
O que se vê hoje em parte do Engenho e do Remanso, é o número crescente de pick-ups, nas mãos de uma minoria, enquanto a maior parte da população dessa região estar abaixo da linha da pobreza, e sofre com o péssimo e quase inexistente serviço de manutenção da infraestrutura do lugar, com o desemprego e com a falta de expectativa. Restando a criação do município como tabua de salvação do lugar, situação inclusive capitaneada pelo prefeito, que coloca essa situação como consolo para massagear o ego dos moradores do lugar. Pena que ainda faltam serem resolvidos muitos problemas básicos e que vem se arrolando a décadas, como a questão da posse definitiva das terras do lugar, pois ninguém acaba sendo dono de nada, pois até hoje o INCRA e o ITEAM ainda não chagaram a um consenso sobre a titulação e regularização agrária do lugar, e por sua vez o governo do Estado também ainda não moveu um palha para resolver o problema, e olha que dizem que eles tem o apoio do governo, imaginem se não tivesse. A arrecadação comercial e das taxas de contribuição de energia, água, luz e telefone são tão baixas, que acabam sendo cobertas pelos órgãos arrecadadores da sede do município, para poder cobrir as despesas do consumo do lugar.
A estrada de Novo Remanso.e Engenho está toda esburacada, a iluminação publica está pior do que a da sede do Município, a região apresenta um dos maiores índices de violência rural do interior do Amazonas, e os demais serviços públicos vão no mesmo caminho, tanto na área rural quanto urba do Município. Por isso, apesar de canalizar recursos que está beneficiando boa parte dos ricos e das figuras de destaque do lugar, o resto do povo, fica a mercê da sua própria sorte.
Essa realidade nos leva a refletir sobre um fato marcante da historia da humanidade, onde o espetáculo se fazia necessário para amenizar o sofrimento do povo, e a Festa do Abacaxi e até porque não dizer o FECANI, são válvulas de escape necessárias para dar uma refrescada nas cobranças comuns do povo. Pois ao longo do tempo, acreditava-se que o “pão e circo” foi uma tática que conseguiu subverter as diferenças sociais e econômicas por meio do assistencialismo. Em diversos textos contemporâneos observamos que a instituição do “pão e circo” foi utilizada no intuito de criticar ações governamentais em que os menos favorecidos eram ludibriados com a concessão de favores e diversão.

VISITE ITACOATIARA, ANTES QUE SE ACABE!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Feirão da Sepror abre espaço para produtores do interior do Amazonas

Fotos: Jimmy Christian


Nesta se­mana, quem for ao Parque da Ex­poagro vai en­con­trar banana, aba­caxi, tu­cumã, mamão e couve mais baratos no Feirão da Se­pror. São 200 ca­chos de banana-maçã, mod­i­fi­cada da Em­brapa, a partir de R$ 1 a palma. A pre­visão até amanhã é de que cheguem mais 300 ca­chos do mu­nicípio de Rio Preto da Eva nos boxes dos agricul­tores fa­mil­iares para venda di­reta ao con­sum­idor.

Além disso, 4 mil aba­caxis prove­nientes da co­mu­nidade Novo Re­manso, no mu­nicípio de Ita­coa­t­iara, podem ser com­prados a partir de R$ 1 a unidade. O valor pode variar de acordo com o ta­manho, po­dendo ser duas, três ou quatro frutas por R$ 5. É pos­sível também en­con­trar 4 mil tu­cumãs, da co­mu­nidade Novo Re­manso, ao preço de R$ 3 a dúzia.

Há também 700 kg de mamão disponíveis para a venda, sendo R$ 2,50 o quilo. Podem ser en­con­trados, ainda, 300kg de  pi­mentão, sendo ven­dido a partir de 1 real o quilo. Tanto o mamão quanto o pi­mentão são  provenientes do ramal do Laranjal, mu­nicípio de Manaca­puru.

No Feirão da Se­pror também estão à venda 480 maços de couve dos pro­du­tores ru­rais da BR-174, ZF-1, ao preço de R$ 0,50 o maço; 45kg de maxixe que está cu­s­tando R$ 4 o quilo; e 200 unidades de jer­imum do Careiro ao preço de R$ 1 o quilo. O Feirão da Se­pror fun­ciona no Parque da Ex­poagro, de quinta a sábado de 6h às 21h e aos domingos até às 12h. 

(fonte: Blog da Floresta)

Itacoatiara, independência ou morte, o quanto vale um voto!


Itacoatiara tem jeito, é só o povo mudar de atitude, e não trocar o voto por favores, por remédio, pelo pagamento da contas de luz e de água, pelo caixão, pelo rancho, por um bilhete de passagem, por uma dose de bebida, por uma promessa de emprego. Pois eu tenho uma concepção formada sobre esse tipo de candidato e eleitor. Que depois de eleito, ele não deve mais nada a ninguém, pois comprou o seu mandato as vezes até por R$ 10,00 e os seus eleitores, não podem se queixar mais de nada pra ele. Não podem reclamar da falta de remédio no hospital, do baixo índice de aproveitamento escolar, dos buracos da rua, da falta de expectativa de avanço no setor agrícola e letargia geral na zona rural, da falta de emprego, da falta de oportunidade. Deveriam é ter vergonha na cara e comportarem como cidadãos plenos, e não ficar pegando dinheiro de um e votando em outro como se isso fosse uma grande vantagem. É meu amigo, diante disso só posso é chegar a uma conclusão, o povo tem é o governo que merece. Aliás, já está se aproximando o processo eleitoral de novo, e vamos ver como o povo vai se comportar, se vai votar, por pena, pela revolta, pelo dinheiro, pela beleza, no salvador da pátria, pela simpatia e pelo favor. Pois enquanto esse conceito de voto e de eleitor perseverar, a nossa cidade vai continuar do jeito que está. Pois penso que somos resultado das nossas próprias convicções e de nossas escolhas, digo nós, porque a maioria acaba decidindo pelos outros, que não tem nada haver com esse quadro que aí está. Mas vamos torcer para que o povo tome novas atitudes e respire novos ares, expurgando o ar poluído de outrora e fazendo uma limpeza orgânica na política local. Atrevo-me a invocar o grito do Ipiranga, já que ainda estamos no mês de setembro. Pois acho que para nós só temos dois caminhos a percorrer, se quisermos verdadeiramente o bem de nossa cidade, “INDEPENDÊNCIA OU MORTE”. Se deixarmos e deixar boa parte do nosso povo continuar com essa visão provinciana, trocando a sua consciência por favores momentâneos. Se continuar assim, eu sinto muito em dizer que a nossa cidade é o que é, pelo resultado do perfil do seu povo, digo, da grande maioria dos seus eleitores, aí meus amigos, não adianta depois chorar o leite derramado! O povo é quem “decide o povo escolhe o final” se querem continuar na pasmaceira, se querem trocar alhos por bugalhos, se querem trazer de volta as velhas oligarquias getulianas, ou se querem dar um verdadeiro grito de independência, e deixar Itacoatiara ir de encontro ao seu destino, o qual está traçado nitidamente na letra do nosso hino municipal criado por Madre Rita de Cássia Dias, que profetizou que a nossa cidade nasceu para “CRESCER, VIVER E REINAR”.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Plano Diretor de Manaus em discussão em seminário do BID

O evento, promovido pelo Bando Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Ministério do Esporte, ocorre nas próximas quarta-feira e quinta-feira, respectivamente, no hotel Hotel Caesar Business (avenida Darcy Vargas, Chapada, Zona Centro-Sul)

 




Plano Direto está entre os assuntos a serem debatidos durante Seminário da Copa de 2014 (Clóvis Miranda)
Mostrar à população a importância de participar das discussões para a revisão do Plano Diretor de Manaus, com vistas, principalmente, à elaboração de diretrizes a serem adotadas de acordo com as demandas da cidade, é o objetivo da gerente de projetos do Ministério das Cidades, Carolina Baima Cavalcanti, que chegou nesta terça-feira (27/09), a Manaus e participará do Seminário Copa 2014: Sustentabilidade e Legado.
O evento, promovido pelo Bando Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Ministério do Esporte, ocorre nas próximas quarta-feira e quinta-feira, respectivamente, no hotel Hotel Caesar Business (avenida Darcy Vargas, Chapada, Zona Centro-Sul).
De acordo com ela, os instrumentos de planejamento urbano, que geralmente são abordados nos planos diretores, são definidos no Estatuto das Cidades (Lei 10.257/2001), tais como zoneamento, densidade populacional, e, principalmente, mecanismos de incorporação da participação popular no processo, algo que não existia há alguns anos.

Habitação e economia
 Ela explica que, de um modo geral, o que precisa ser enfatizado, no caso de cidades como Manaus, cujo crescimento foi rápido e desordenado - peculiaridades das regiões Norte e Nordeste -, é que o ordenamento deve ser um dos pontos a serem priorizados, além da reserva de áreas para uma futura expansão do perímetro urbano.
Ela destaca que outro setor que apresenta carência após a análise é o habitacional, que acaba levando a população para áreas de fragilidade ambiental e de risco em geral. “A garantia do acesso à moradia é primordial dentro de qualquer plano diretor. Acreditamos que isso é um direito fundamental e o cumprimento da função social, não deixando imóveis ociosos, por exemplo, leva ao aproveitamento da infraestrutura já existente”, ressalta, colocando a reutilização dos espaços como mais uma opção para realocação.
Mas, ela afirma que a ampliação do perímetro urbano sempre deve ser considerada como uma opção futura, o que torna a lei flexível no caso de necessidade de expansão territorial. “Outra coisa é fazer um estudo geral das ocupações que já existem para levantar o que pode ser regularizado. O plano diretor é feito a partir de demandas de crescimento da população e tamanho do perímetro urbano, ou seja, por meio de um estudo de áreas”.
Ter conhecimento das demandas também é primordial, segundo Carolina Baima, Ela acredita que o Plano Diretor de Manaus, como em qualquer outra cidade brasileira, pode ser um incentivador de geração de economia, já que pode prever, em uma de suas seções, a alocação de atividades produtivas, o que pode levantar as atividades desenvolvidas e o que deve ser induzido ou coibido.
Além disso, o plano também pode influenciar transporte público e no turismo com elementos de política urbana que podem ajudar na construção de projetos. “A lógica do plano é regular a ocupação do território, o que leva à avaliação das políticas setoriais a serem aplicadas, o que o torna um incentivador”, finaliza.
A convite do vereador Waldemir José (PT), Carolina Baima participou, na tarde desta terça-feira, de um encontro com formadores de opinião na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) da avenida Leonardo Malcher, Centro. Amanhã (quiarta-feira, 28/09), às 19h, no Cefam da Joaquim Nabuco, será a vez das lideranças populares e movimentos sociais.  

fonte: jornal acritica

domingo, 25 de setembro de 2011

NOTA DE PESAR

Em 1998, no arraial de São Francsico um papo descontraído entre Frank Chaves e Antonio Paiva

















Noticiamos o falescimento do Sr. Antonio Paiva, patriarca da família Barros de Paiva, esposo da Sra. Analzildes Paiva, pai de France, Benjamim, Toinho, Niger, Cristiane e Helem Paiva. Grande amigo, sempre se apresentou com elegância e fino trato, sempre prestativo e  de incomensurável educação. Sua simpática companhia vai nos fazer muita falta, mas temos que nos conformar com vontade de Deus, pois chegou a sua hora e sua presença agora foi necessária junto ao Pai. Que Deus traga o consolo para a sua família e amigos.
O seu sepultamento se deu hoje as 16:00h no Cemitério Dívino Espírito Santo.

Amazonino e Peixoto: Democracia ou Assembleísmo

Al­guns asses­sores do prefeito Ama­zonino Mendes estão pre­ocu­pados com o que seria ex­cesso de re­uniões para a tomada de de­cisões. Al­guns de­fendem afir­mando que o melhor espírito democrático baixou no prefeito de Manaus. Mas outros temem que as re­uniões acabem vi­rando a mania de “assem­bleísmo”, tão comum em certos par­tidos de es­querda. (fonte: Blog da Floresta)
 
É de fato, a prática do assembleísmo é decorrente de governos que querem demonstrar que tomam decisões junto com o coletivo. Coisas que aqui em Itacoatiara também são práticadas, Mas as decisões mais importantes como exemplo da contratação da OCIP, principalmente de outros serviços que denotam interesses financeiros e partidários, nunca caem  e vão a baila, para passarem pelo crivo das discussões coletivas, iniciativas desta natureza, são tomadas nos gabinetes, até mesmo na cozinha do prefeito e do vice. Enquanto isso, jogam pra comunidade discutir o sexo dos anjos, e ficam posando de democratas! As vezes até discutem assuntos mais relevantes, mas que no fundo são resultantes de determinações externas e até mesmo por motivo de força legal. Aí fazem um show de pirotecnia divulgando na TV, no jornal,  e nas emissoras de rádios locais, como se estivessem descobrindo o ovo de colombo! Aí meus amigos "o Governo Municipal finge que é transparente e o povo finge que acredita"! (fonte: Blog Frank Chaves)

sábado, 24 de setembro de 2011

Nota de indignação de uma usuária do facebook, sobre o projeto de iluminação da Avenida Parque!



 "Pois akilo até um cego ver de longe de tão forte q ta akele troço. Só tenho a lamentar por tds nós....esse...só faz besteira....rsrsrsrsrs!!!!!!!e o pior, nem fui mas caminhar, akilo é tão forte q me deu dor na vista e na cabeça o resto da noite tdnha..... q vergonha!"


V. T.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Rodovia, hidrovia e logistica de transporte do Município de Itacoatiara, foram os temas abordados pela ALEAM na Câmara Municpal de Itacoatiara

Hoje(23) a partir das 10 horas da manhã, aconteceu uma Audiência Pública na Câmara Municipal de Itacoatiara para tratar de assuntos relacionados a estrutura rodoviária, hidroviária e logística do Município. O debate foi coordenado pela Comissão de Ciência e Tecnologia da Assembléia Legislativa do Estado (Aleam), da qual o deputado José Ricardo é presidente, em conjunto com as comissões de Gestão e Serviços Públicos e de Transporte, Trânsito e Mobilidade. O vereador Francisco Rosquilde (PT) foi quem pediu para que o evento fosse realizado na Câmara Cidadã. O Município de Itacoatiara integra a Região Metropolitana de Manaus (RMM) e, para José Ricardo, é fundamental a discussão em torno da organização econômica e social da localidade, que necessita de uma estrutura logística adequada. “O porto e a estrada devem atender a demanda de escoamento da produção rural, favorecendo a Zona Franca de Manaus (ZFM) e até as ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), com infraestrutura eficiente para o transporte até a capital, bem como no seu entorno”. Foram convidados para o debate, dentre outros órgãos e instituições: Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (SEPLAN), Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), Superintendência Estadual de Navegação, Portos e Hidrovias (SNPH), Departamento Nacional de Infraestrutua (Dnit), Secretaria de Estado de Infraestrutura do Estado Amazonas (Seinf), Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas (Ipaam), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam) e Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).
Será que agora vai? Oposição e situação se afinaram no discurso, todos tiveram oportunidade de falar, expor as suas idéias, suas reivindicações e também suas críticas sobre o assunto. O Prefeito Antonio Peixoto (PT) falou bastante -- como já era de se esperar -- no entanto fez-se pouco a entender. Mostrou um projeto para o um novo porto, falou de parcerias e também voltou a falar sobre a ferrovia. Mas, o que mais chamou atenção foi a forma desordenada de suas palavras, muitos atropelos a gramática e falta de coerência das frases. Muitas das vezes se fazia muito confuso com suas idéias. Porém, o mais importante foi feito: o povo foi ouvido. Cabe agora cobrar atitudes das autoridades para fazer andar com as soluções e não deixar que essa audiência sirva apenas para pagar diárias dos representantes da Assembléia Legislativa e depois cair no esquecimento. Vamos continuar cobrando ações, já chega de esperar, as soluções estão aí, basta aplicá-las. As comissões estão no caminho certo, mas só merecerão parabéns quando mostrarem resultados práticos a nossa comunidade itacoatiarense.  
fonte: Blog kitudiz

Oscips que receberam R$ 2 milhões após eleições são extintas












Oscips que receberam R$ 2 milhões após eleições são extintas

quinta-feira, 22 de setembro de 2011



De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

... Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Soneto de Fidelidade - Vinicius de Moraes

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

ENQUANTO OS CÃES LADRAM, A CARAVANA PASSA!


Veja a disparidade entre a quantidade de cursos oferecidos para Itacoatiara e Parintins no Edital do Vestubular da UEA/2011. Aí o pessoal do outro lado, quer que fiquemos calados com uma situação dessa! Façam-me o favor, cadê o prestígio do nosso prefeito com o governador e com o atual Reitor da UEA que é do PT. Enquanto o nosso município continuar caminhando deste jeito, vai ficar difícil alcançarmos o tal desenvolvimento. Pelo jeito, vamos ter que nos contentar mesmo só com o Penarol, que é campeão amazonense. Mas a questão é que o esporte é importante, mas atua mais no âmbito do entretenimento. Não muda em quase nada, a matriz de desenvolvimento de Itacoatiara, que aliás, acho que nem tem, pois nunca se ouviu falar, se há de fato, um Plano Estratégico de Desenvolvimento para o nosso Município. Só se vê são lucubrações de que Itacoatiara vai ser uma cidade universitária, depois o prefeito vai aos meios de comunicação e diz que vamos ser a cidade da exploração mineral, depois diz que vamos ser a cidade da produção de alimentos. O fato é que atiram para todo lado, e não atingem em lugar algum.
E como diz o adágio popular “enquanto os cães ladram, a caravana passa”, e assim está o nosso município, enquanto ficam alardeando sobre isso e aquilo. A ilha Tupinabarana, vai seguindo o seu caminho altaneira, sem fazer alardes, e a nossa Velha Serpa, segue bradando na mídia fatos e atos que tem bem pouco efeito prático.
Estão divulgando que construíram a UFAM (Governo Federal), que fizeram a Escola Berezith (Governo do Estado), que foram adquiriram 05 lanchas escolares(Governo Federal), mérito da Associação Amazonense dos municípios que conseguiu 29 lanchas com o MEC e distribuiu para vários do Amazonas, inclusive Itacoatiara. Bradam que trouxeram o terminal de combustíveis da Equador Log (Investimento do setor privado), que trouxeram a empresa de prospecção mineral Georadar (Investimento do setor privado), entre outros. Pois é meus amigos, enquanto a administração municipal fica tentando pegar carona em ações externas, que na maioria das vezes independem da iniciativa da Prefeitura, ficam arrotando bacaba e não fazem o seu dever de casa.
A presidente Dilma lançou o novo Programa de Expansão das Universidades Federais e dos IFAMs - Institutos Federais de Educação em Brasília, foram convidados todos os prefeitos do país. Todos Estados foram beneficiados e alguns municípios pólo, foram contemplados com um IFAM, e como Itacoatiara é pólo regional do Médio Amazonas e esta localizada em ponto estratégico da região, foi contemplada com um IFAM, todavia a presidente foi muito clara, quando brindou vários municípios do país com a implantação dos institutos, pedindo aos prefeitos que como contrapartida, ofereçam o terreno para a referida construção. Vale ressaltar que já faz mais de dois meses, e o nosso prefeito ainda não mexeu uma palha para disponibilizar o terreno para o MEC efetuar a transferência dos recursos para a construção do nosso IFAM.
Há alguns meses atrás a nossa cidade foi alvejada pela discussão da devolução do terreno do município cedido pelo ex-prefeito Chibly Abrahim, a Rádio Difusora de Itacoatiara para a implantação exclusiva de uma torre de rádio. Até aí tudo bem, não fosse o fato da referida torre já estar desativada a muitos anos, e o terreno em questão estar sendo loteado para terceiros, em detrimento do interesse público. Uma vez que muitas pessoas de nossa cidade não tem casa própria e o ex-governador Eduardo Braga, prometeu construir mil casas em nosso município e só fez pouca mais de 640 unidades. Aí sabiamente o vereador Arialdo, apontou a saída, liderando a derrubada da Lei de doação e revertendo o terreno para a municipalidade. Cujo lugar acomodaria perfeitamente o restante das 360 residências. E agora com a promessa da construção do nosso IFAM-Instituto Federal de Educação, penso que é outra opção para a Prefeitura nem titubear e colocar o referido terreno imediatamente a disposição do MEC, para  não perdermos esse fantástico investimento no setor educacional de nosso município. Pois já se passaram dois meses que o MEC disponibilizou o projeto para Itacoatiara, e até agora o prefeito nem lança mão do terreno que a Câmara lutou para reverter-se ao patrimônio publico municipal do IFAM, nem adquiriu outro terreno para viabilizar o inicio dos trabalhos de engenharia e licitação de obras. Agora imaginem vocês se isto estivesse acontecendo lá em Parintins, vocês não acham que já estaria tudo sido resolvido! Enquanto isso o prefeito está preocupado em doar área para o Ministério Publico a construir sua sede. Pelo jeito, ele acha que a educação pode ficar em segundo plano, para massagear o ego da justiça local. É bom que se mecham, pois senão vamos mas uma vez perder o bonde da História.
 
Pois é meus amigos, só através de políticas publicas serias, de planejamento e do investimento em educação e tecnologia é que poderemos avançar. Mas pelo jeito, só quem está mesmo avançado, é o município de Parintins que sempre sai na frente de Itacoatiara em gênero numero e grau, é só conferir a diferença entre o discurso e a prática mostrado na relação abaixo.


Cursos disponíveis no Edital/UEA Nº 082/2011
 http://www1.uea.edu.br/noticia.php?dest=info&noticia=19657

ITACOATIARA

1-    Engenharia Florestal
2-    Licenciatura em Informática
3-    Bacharelado em Saúde Coletiva
4-    Tecnologia em Gestão Pública
5-    Tecnologia em Agrimensura

PARINTINS
           1 -  Licenciatura em Ciências Biológicas
           2-  Licenciatura em Física
           3 - Licenciatura em Geografia
           4 - Licenciatura em Historia
           5 - Licenciatura em Letras
           6 - Licenciatura em Matemática
          7 - Licenciatura em Química
          8 - Pedagogia
          9 - Ciências da Saúde
        10-  Bacharelado em Saúde Coletiva
        11-  Ciências Sociais
        12- Tecnologia em Gestão Pública
 h

terça-feira, 20 de setembro de 2011

VESTIBULAR 2011: UEA lança Edital

http://www1.uea.edu.br/noticia.php?dest=info&noticia=19657
A Universidade do Estado do Amazonas (UEA), lançou hoje, dia 16 de Setembro, os Editais para o Vestibular 2011 e para o Sistema de Ingresso Seriado – SIS. Para estes acessos serão oferecidas 5.060 vagas para cursos em 24 municípios, incluindo Manaus.

As inscrições que começam na próxima segunda-feira, dia 19 de setembro, podem ser feitas através do site www.uea.edu.br até o dia 19 de outubro.

INSCRIÇOES VESTIBULAR 2011
As inscrições pela Internet serão realizadas no site www.uea.edu.br, mediante o preenchimento do questionário socioeconômico, da ficha de inscrição, impressão de boleto bancário e pagamento de taxa de inscrição, no valor de R$ 35,00.

O preenchimento da ficha de inscrição é de inteira responsabilidade do candidato, que deverá estar atento a todas as informações prestadas, conferindo-as cuidadosamente antes da efetivação da inscrição.

Para preencher a ficha de inscrição o candidato deverá:
a) informar o número do seu CPF;
b) informar seu número de inscrição no Enem 2011 (campo não obrigatório);
c) indicar a opção pelo curso, indicando o código que o identifica no conjunto de vagas que pretende disputar, na forma do item 3 deste Edital;
d) indicar a opção pela Língua Estrangeira de sua preferência (Inglês ou Espanhol);
e) indicar a cidade onde deseja realizar as provas;
f) fornecer todos os demais dados pessoais que lhe forem solicitados na ficha;
g) efetuar rigorosa conferência de todos os dados fornecidos em sua ficha de inscrição antes de efetiva-lá;
h) efetivar a inscrição e imprimir o boleto bancário para pagamento da taxa.

INSCRIÇÕES PARA O SIS
O Sistema de Ingresso Seriado será realizado em três etapas, correspondentes às três séries do Ensino Médio, por meio da aplicação de provas anuais, que avaliarão as competências e habilidades adquiridas pelo estudante em cada uma das séries.

Poderão se inscrever no SIS, somente os candidatos que estejam cursando o primeiro ano do Ensino Médio em escola de Ensino Regular no Estado do Amazonas. A inscrição será exclusivamente, no site www.uea.edu.br, no período de 19 de setembro a 19 de outubro de 2011.

Ao efetuar a inscrição o candidato deverá imprimir a guia de recolhimento imediatamente após a conclusão do preenchimento do formulário de inscrição, para o pagamento da taxa de inscrição no valor de R$ 30,00 (trinta reais).

Mais informações os editais encontram-se em anexo.

Membros do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Itacoatiara



Nesta segunda (19.09.11) foi criado o Conselho Municipal do Patrimônio Cultural, a sua primeira reunião aconteceu na Escola de Fluviários da Hermasa – É composto por representantes do Poder Público e de representantes da sociedade civil organizada. Pelo seu caráter consultivo e deliberativo, irá nortear as políticas culturais do município de Itacoatiara, em todos os aspectos, a saber: patrimônio edificado, natural, sítios arqueológicos, paisagens notáveis, saberes e fazeres. É de fato uma grande conquista para os agentes culturais do município de Itacoatiara. Com o Conselho a tomada de decisão dos agentes públicos, sobre tudo aquilo que engloba os assuntos culturais, passarão por um amplo debate do colegiado que tem notório conhecimento sobre a causa, e isto vai sem duvida dar um novo enfoque sobre as ações e as políticas culturais de nossa cidade.

Consulta de opinão

ALBUM DE ITACOATIARA